Lembranças…


“Nem toda distância é saudade. Às vezes quem vai deixa um pouco de si em cada lembrança que viveu ao lado de quem tanto aproveitou sua presença. Num sorriso simples, num gesto calmo e despretensioso; talvez até num abraço mais forte ou numa palavra acolhedora. Nem toda distância é proposital. Às vezes o tempo se encarrega de nos separar naturalmente, sem que a gente tenha culpa do que ocorreu durante o caminho. Às vezes a gente nem percebe o que tem acontecido ou, quando nos damos conta, já estamos em novas fronteiras, novos abraços… Guardando o silêncio respeitoso pelo que já passou. Na verdade, nem todo silêncio é esquecimento. É mais uma forma de homenagear o que foi vivido; de manter em segurança as boas lembranças. Um silêncio é o tempo que nós damos para nós mesmos: para rever sentimentos, rever sensações, reviver momentos… O silêncio é, também, uma resposta. Uma forma de agradecer, de um jeito todo acanhado, o que passamos e aproveitamos. No final nosso coração sempre sabe para onde voltar: para onde haja presença, ainda que distante; para onde haja o som dos sorrisos, ainda que em meio a vários minutos de um silêncio.”

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s